Nossa garota

Nossa garota

domingo, 6 de março de 2011

CÃES DE GRANDE PORTE – O QUE SABER ENQUANTO SÃO PEQUENOS

CÃES DE GRANDE PORTE – O QUE SABER ENQUANTO SÃO PEQUENOS

Existem cuidados e preocupações que só os cachorros de raças de grande porte exigem. A educação, despesas de veterinário e brincadeiras devem ser pensados desde pequeno para que quando cresçam não haja surpresas.
Em primeiro lugar, há que realçar que um dos principais motivos que levam ao abandono de cães é o facto de estes crescerem “demasiado”. Por isso pondere devidamente a responsabilidade que acarreta ter um cão que ocupa mais espaço e tem mais força do que o dono.
Partindo do princípio que fez uma escolha em consciência, existem várias especificidades que resultam de ter um cão de porte grande ou gigante. Cuidados que devem estar presentes a partir do momento em que o cão chega a casa dos donos.


Brincadeiras brutas


Tudo o que os cães pequenos fazem parece ser enternecedor. Primeiro porque têm um ar de cachorrinho e depois porque os conseguimos dominar facilmente. Se nos mordiscam, não doi, se nos dão um encontrão, são eles a cair. Contudo, os hábitos que estabelecer enquanto o cão é pequeno são os comportamentos que o cão vai ter em adulto, quando mordiscar vai doer e um encontrão vai atirar uma pessoa ao chão.


É preciso ensinar o cão desde pequeno a não mordiscar e desencorajar brincadeiras brutas. Um cão que não foi ensinado a brincar com base em comandos torna-se num cão perigosos para ter junto de crianças, pessoas idosas ou de constituição mais frágil, pois pode magoá-las sem intenção.


A inibição da mordida é essencial para qualquer cão, mas especialmente importante para cães com uma mandíbula forte.


Alojamento


Os cães de porte grande ou gigante são mais propensos a desenvolverem displasia da anca, um problema articular que causa dor e que dificulta a locomoção. Embora seja uma doença com uma forte componente genética, é aconselhável ter alguns cuidados que minimizam o desenvolvimento de problemas na anca e cotovelos. Por isso, deve evitar que o cão ande ou corra em pavimento escorregadio. Não o deve fazer subir e descer escadas nos primeiros meses, nem fazê-lo saltar, por exemplo ao brincar.


Custos


Um cão de porte grande tem custos mais elevados do que um cão de porte pequeno. Não só como é óbvio na alimentação, comem mais, mas também no veterinário. Desparasitações, cirurgias, mesmo as mais rotineiras como esterilização, têm preços diferente consoante o peso do animal.


Treino


Um cão de porte grande é capaz de estragos que muitos cães de porte pequeno não são. Por terem mais força do que o dono, o cão deve ser treinado para obedecê-lo em todas as situações. O treino é por isso essencial e deve começar desde cedo, já que nesta altura o cão ainda não tem (maus) comportamentos fixados, o dono ainda é superior fisicamente ao cão e o cão está no pico da sua capacidade de aprendizagem.


Criar memórias


Embora o corpo de um cachorro de uma raça de porte grande ou gigante só fique completamente formado aos 18/24 meses, a verdade é que após um ano, já quase todos os cachorros têm praticamente o aspecto de adultos.


Se já falou com donos de cães de porte grande ou gigante com certeza que já ouviu a seguinte recomendação: “tire muitas fotografias porque eu já não me lembro de o meu cão ser assim pequenino”.


Os cães de raças de porte grande ou gigante crescem depressa e em poucos meses duplicam o tamanho. Por isso, para recordar mais tarde, tire fotografias e grave vídeos enquanto o cão é “pequeno”.


Fonte de pesquisa: WWW.VIVAPETS.COM

Nenhum comentário: