Nossa garota

Nossa garota

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Quatro cães rottweiler salvaram uma idosa de 80 anos

Os rottweiler, assim como os pittbull, doberman, e outras raças de cães, são considerados perigosos. Porém, tal como qualquer raça de cães, estes animais só se tornam perigosos se forem educados para assim o serem. Exemplo disto são os quatro rottweiler que salvaram uma idosa de 80 anos.
A senhora em questão caíu num campo em Gloucestershire, na Inglaterra, e ficou presa por mais de 15 horas. Dave Malt e o seu sobrinho estavam a passear os quatro rottweiller, sem trelas, por ser uma zona rural sem pessoas. Foi então que os cães se afastaram dos donos e correram para o local onde estava a idosa caída, escreve o site the Dodo.
Malt correu então ao encontro dos cães e descobriu a idosa, a ser lambida por um dos cães. A mulher foi depois transportada para o hospital e está a recuperar favoravelmente, graças ao olfacto dos quatro rottweiler.
Esta história é um exemplo de que a má reputação dos rottweiler é muitas vezes falsa. Embora alguns cães desta raça possam ser protectores ou agressivos, a maioria é dócil e mesmo os mais agressivos podem ser ensinados.

GAZETADOROSSIO
Fonte: greensavers.sapo.pt

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Cadela agredida pelo dono com um facão em Pirajuí ganha novo lar

Susy foi morar em chácara em Avaí (SP).
Cadela ainda se recupera depois de ter perdido parte do crânio.


A cadela Susy, agredida por um facão e um pedaço de madeira pelo próprio dono há um mês em Pirajuí (SP), ganhou um novo lar esta semana. Ela saiu da clínica veterinária, onde foi tratada, para uma chácara em Avaí (SP). Ela passou por cirurgia e perdeu parte do crânio, mas se recupera bem e não corre risco de morte.
A pensionista Helena Rodrigues dos Santos Rossini, de 65 anos, não resistiu ao saber da história da rottweiller de cerca de 8 anos.
“Fiquei sensibilizada devido aos maus tratos, fiquei com pena”, conta.  E segundo a nova dona, foi amor à primeira vista. “Ela gostou de mim assim que me viu. E eu amei a Susy, ela é fofa, é boazinha, bem mansa”, afirma Helena.
Além de gostar de animais, outro fator que fez Helena adotar a cadela é que ela já tinha um cachorro que ficava sozinho na chácara.  Agora, Susy ganhou um companheiro para as brincadeiras: Atila, de 1 ano e 4 meses, espera a nova moradora da chácara se recuperar para poder brincar, já que a cadela fica separada dele até que fique totalmente curada. “Tenho medo que ela se machuque. Ela ainda precisa fazer curativos. Ainda está se adaptando”, comenta Helena.
saiba mais
 Além de Atila e Susy, há outros 10 cachorros que a filha de Helena, que é veterinária, leva da rua para chácara.  Eles ficam em uma área separada.

Entenda o caso

A cadela Susy foi resgatada por socorristas de uma ONG protetora de animais de Pirajuí (SP) com a ajuda da Polícia Militar depois de ser agredida pelo próprio dono com um facão há um mês.
O suspeito disse aos policiais que iria matar a cachorra porque ela atacou as galinhas de um vizinho. Ele contou que só bateu na cachorra porque ela o teria atacado quando ele foi amarrá-la para não fugir mais para o galinheiro.
Um boletim de ocorrência de ocorrência de maus-tratos foi registrado e a Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso. O homem vai responder pelo crime e se condenado pode pegar detenção de 3 meses a 1 ano de prisão.