Nossa garota

Nossa garota

quarta-feira, 16 de março de 2011

Brigando como Cão e Gato

Brigando como Cão e Gato


Muito tem se falado sobre a ferocidade de alguns cães em vista dos acidentes que andam sendo noticiados. Não vou nem dizer raças de cães porque acho injusto condenar todos os animais de uma raça pelos atos de alguns indivíduos. Se fosse assim, o que se diria de nós, seres humanos...
Vamos então tratar dos animais que mordem, não importa a raça e o tamanho, pois até o menor deles (um pinscher, por exemplo) pode morder e ferir um adulto ou criança. É claro que as conseqüências serão diferentes, mas os cuidados devem ser os mesmos.
Por que um animal morde? São duas as situações: ou ele morde para se defender, quando está assustado, ou para defender seu território, seu alimento, seu dono, etc...

Como evitar então o problema? Aqui vão alguns conselhos:
1. Criar bem o seu cão. Se o seu animal for bem sociabilizado desde filhote, isto é, aprender a conviver com as pessoas e outros animais desde novinho, ele aprenderá que todos são amigos até que se prove o contrário e tomará conta do seu patrimônio da mesma maneira, pois a maioria dos cães mantém o instinto de guarda mesmo sendo mansos, nem que seja só para latir para os estranhos. O animal criado isolado e sozinho será sempre mais bravo, mais difícil de tratar e menos apegado à família.
2. Mantê-lo sempre na guia quando estiver passeando. Mesmo que ele seja manso, acostumá-lo à guia faz com que ele obedeça melhor e evita acidentes, mesmo que seja só o susto que a criança levará se o animal correr na direção dela. Existem Leis Municipais sobre esse assunto e você poderá ser multado se infligi-las.
3. Mantê-lo sempre domiciliado (dentro de casa ou do quintal). Não acostume o seu cão a sair sozinho de casa para “dar uma voltinha”. Lembre-se que de acordo com o Código Civil Brasileiro o proprietário do animal é o responsável por seus atos, podendo ser processado por danos a bens materiais e pessoais que eles possam causar, ou seja, se seu cão destruir o jardim do vizinho, matar um outro animal, ou qualquer outra coisa, você é o responsável por ele e terá que indenizar os estragos. O mesmo acontece com as despesas hospitalares para qualquer pessoa mordida ou ferida pelo seu cão (a empregada, o guarda, o carteiro...).
4. Tomar a atitude correta. Nós também podemos evitar os acidentes e devemos ensinar nossas crianças como se comportar frente a um animal que pode oferecer perigo.
• Nunca entre em um local onde há um cão preso sem o consentimento do dono ou acompanhado do mesmo.

• Se um cão vem em sua direção e não há como se abrigar em local seguro a tempo, não corra. Fique parado, sem se mover, com os braços abaixados ao longo do corpo. Se você não oferecer perigo, o cão dificilmente atacará.
• Nunca tente pegá-lo ou passar a mão em sua cabeça sem ter certeza que ele deixará. Faça com que ele cheire sua mão abaixada (é como ele o reconhece) e se ele se mostrar amigável, aí sim o afague.
• Vacine-o sempre. A vacina contra raiva é obrigatória e as demais protegem a saúde de seu cão e a de sua família também.

Fonte de pesquisa:
Regina S. Incane Ito Médica Veterinária CRMV-SP 4612

Nenhum comentário: