Nossa garota

Nossa garota

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A posse responsável reflete no comportamento animal

A posse responsável reflete no comportamento do animal


Aos que comungam com os princípios do Dia Nacional de Adotar um Animal, 4 de outubro, é importante ressaltar que a adoção deve ser realizada de maneira responsável.
A presença do dono é muito importante para que o animal se sinta feliz, caso contrário , se ficar muito tempo sozinho e preso , poderá sofrer de depressão.
A solidão poderá ocasionar uma alteração de comportamento, denominada ansiedade da separação. Alguns proprietários de cães e gatos desconhecem a razão porque o animal esta defecando em locais impróprios, escavando, mordendo objetos, rasgando roupas, arranhando móveis, uivando, com anorexia ou hiperatividade, e isto se deve a falta de atenção necessária.


O animal, às vezes, acaba até sendo punido pelos estragos causados, como se ele fosse culpado , quando a culpa é do proprietário, que não esta conseguindo compreender sua carência afetiva.
O carinho e a atenção são essenciais para a socialização dos animais de estimação. Quando filhote, após a separação da mãe e dos irmãos de ninhada, se dará início o período de socialização do animal (entre 2 e 4 meses), em que ele se ligará fortemente ao dono e às pessoas com quem tiver contato. A ligação implica numa relação de confiança e é a base fundamental do laço entre o proprietário e o animal de estimação. Como todo excesso traz malefício, o animal não deve ficar extremamente dependente do proprietário, isto propiciará o desenvolvimento de distúrbios comportamentais associadas à separação.
A mudança súbita no ambiente, decorrente de divórcio, falecimento e até a chegada de um novo membro na família influenciam no comportamento do animal.


O animal precisa ser tratado com equilíbrio, exercitando bastante o físico, recebendo treinamento correto para ser obediente, desfrutar de brinquedos adequados e passeios diários, para não se estressar e manifestar um comportamento indesejado.
O cão elege o seu proprietário, aquela pessoa que lhe inspira respeito e isso quer dizer autoridade e não violência. A firmeza nos gestos e na voz é que determinarão isso. Para ele, os habitantes da casa obedecerão a um escala de poder e caso ninguém tenha autoridade com ele, será ele quem assumirá a liderança, não obedecendo a ninguém.
Quando ele é esquecido pelos que convivem com ele, resmungará como se fosse um choro, pois se sentirá menosprezado. Pode perceber que se ninguém ligar para o resmungo dele acabará latindo para chamar a atenção.
A linguagem dos cães não é difícil de ser compreendida e, na verdade, é bastante simples. No contato com as pessoas, eles utilizam todos os recursos físicos para se comunicarem:


- Cabeça e orelhas viradas para uma determinada direção: significa que o cão escutou algum barulho e quer localizá-lo e identificá-lo;


- Cauda balançando para os lados: se ela estiver na posição normal, significa alegria;


- Cauda levantada: o cão está pronto para a briga com outro cão;
- Cauda levantada e balançando: quer dizer alegria e segurança;
- Cauda baixa: insegurança;
- Cauda parada: inquietude;
- Cauda entre as pernas: medo;
- Cauda entre as pernas: o cão está precisando de alguma ajuda, porque está “apertado” para fazer as suas necessidades;
- Cheirar o rabo de outro cão: é uma forma de conhecer outro cão e de cumprimentá-lo, além de o identificar pelo seu cheiro pessoal, produzido pela sua glândula anal, uma verdadeira “carteira de identidade”;
- Dar voltas e girar no mesmo lugar, antes de se deitar e, às vezes, arranhando o local (terra, tapetes, etc.), com as unhas: é um hábito adquirido dos seus antepassados selvagens que, assim, preparavam a sua “cama” para dormir e que, para isso precisavam amassar o capim e preparar o local para se deitar;
- Deitar de costas, com a barriga para cima: os cães agem assim quando:
1 – estão muito alegres e querem brincar “dizendo”, com isso, como estão felizes com a brincadeira;
2 – quando se sentem ameaçados, portando-se como seus antepassados selvagens, deitando-se de barriga para cima, para mostrar a cor clara do seu ventre, em sinal de submissão;
3 – quando brigam e perdem, tomam essa posição, “se entregando”, indicando que não querem mais brigar;
4- Ficar se esfregando no dono, principalmente na sua perna: significa que o cão que ser acariciado;
5- Dar “cutucadas” com o focinho: é a maneira de chamar a atenção da pessoa que está perto dele para, geralmente, pedir alguma coisa;
6- Lambidinha: é a maior prova de afeto que um cão, de qualquer idade, pode dar a uma pessoa, lambendo-lhe o rosto e as mãos;
7- Latir sem parar: significa que o cão está disposto a atacar algum intruso, homem ou animal, para defender o seu “território”, seus pertences, sua comida, sua fêmea, seu dono ou outra pessoa de sua família. Nesse caso, mostra os dentes, fica com a cara e o focinho franzidos e as orelhas para traz, mostrando que está pronto para atacar.
Adotar um animal é uma iniciativa muito importante, a força do amor incondicional é capaz de transformar uma vida, mas é para ter ao seu lado um companheiro muito saudável, é fundamental ter tempo para cuidar dele com carinho e dedicação.

4 de Outubro - Dia Nacional de Adotar um Animal


Plante a semente da caridade. Colha os frutos do amor!

Atrigo de Vininha F. Carvalho (Vininha F. Carvalho


Jornalista, administradora de empresas, economista e ambientalista, atuando como defensora dos animais)

domingo, 15 de novembro de 2009

Texto retirado do site vivapets

"Cuidar de um animal faz parte da Posse Responsável. Prece de um animal Trata-me com carinho, querido amigo, porque não há nada no mundo mais agradecido do que o meu coração. Não machuque meu espírito com a vara porque, embora eu esteja lambendo suas mãos entre uma e outra pancada, a sua paciência e compreensão vão me ensinar mais rápido aquilo que você quer que eu aprenda. Nem sempre eu estou certo, mas estou sempre querendo perdoar e ser perdoado. Fale sempre comigo, pois a sua voz é a minha música mais doce, como você já deve ter percebido pelo abanar fogoso da minha cauda quando ouço seus passos. Por favor leve-me para dentro quando estiver frio e chovendo, pois sou um animal doméstico, não mais acostumado ao frio e à chuva. Peço-lhe nada mais do que o privilégio de sentar-me aos seus pés, ao lado do coração. Mantenha o meu pote cheio de água fresca, pois não posso falar quando tenho sede. Dê-me comida fresca para que eu fique bem e possa brincar e atender aos seus comandos, para andar ao seu lado e estar apto a lhe proteger com a minha vida, caso você esteja correndo perigo. Não posso falar quando preciso de cuidados médicos ou quando devo tomar injeções; olhe para mim e observe se estou indiferente, fugindo da comida e leve-me ao nosso amigo veterinário, para uma consulta periódica. E, meu amigo, quando eu estiver velho e não mais gozando de boa saúde, ouvindo e vendo mal, não faça nenhum esforço heróico para me manter vivo. Eu não vou estar me divertindo. Por favor cuide para que minha vida seja suavemente tirada. Devo deixar esta terra sabendo que meu destino sempre esteve seguro em suas mãos. Tudo que lhe peço é que fique comigo até o fim, segure-me firme e fale comigo até que meus ouvidos não mais ouçam e meus olhos não mais vejam. Os animais merecem todo o nosso carinho e amor. Assim como toda a natureza

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Esta foto é uma prova incontestável que o rottweiler tem domínio de sua força e consegue respeitar até uma " poderosa" pincher. Nesta casa, quem manda é ela , a Bisteca! O rottweiler Elvis, concorda sempre !

Esta foto é uma prova incontestável que o rottweiler tem domínio de sua força e consegue respeitar até uma " poderosa" pincher. Nesta casa, quem manda é ela , a Bisteca! O rottweiler Elvis, concorda sempre !




O rottweiler tem um temperamento especial, que facilita muito o seu adestramento. A raça foi desenvolvida ha aproximamente 2000 anos, mas, passou a ser mais divulgada, nos anos 70, quando teve um papel relevante no filme "A Profecia", onde foi apresentado na forma de cão, como o protetor do "Anticristo".



Alguns anos depois, a Rede Globo levou ao ar a novela "Vamp", na qual o rottweiler era também apresentado sob o estigma da violência, sob a forma animal do vampiro "Vlad".




A raça ficou associada ao comportamento agressivo. É lastimável que pessoas pouco esclarecidas se baseando na ficção, sem buscar o devido embasamento científico e conhecimentos técnicos, passaram a promover uma imagem muito negativa, que não faz jus a estes animais, que tantos benefícios oferecem aos humanos, como seus protetores, companheiros ou simplesmente amigos, quando tratados com amor e respeito.




O rottweiler tem um temperamento firme e forte, que precisa ser trabalhado através do adestramento para um perfeito convívio. Comportamentos inadequados como liderança mal estabelecida e tratamento agressivo, são alguns dos problemas que muitos animais enfrentam. Muitas vezes, esses incômodos são gerados por uma conduta inadequada dos donos que descaracterizam o animal. O animal sente e reage de acordo com os estímulos dados por seu dono.O processo de treinamento do animal está diretamente relacionado a dedicação empregada na sua educação.




Pessoas que criaram o animal desde pequeno e, que ao receberem visita na sua residência, o prendem no canil, certamente terão um rottweiler um pouco mais agressivo, não pelo fato de haver algum erro na genética do cão, mas pelo fato de ele não estar acostumado a ter contato com estranhos.




O rottweiler é considerado adulto, isto é, amadurecido em seu instinto, por volta dos 28 a 36 meses. Ele deverá saber que está submisso ao dono, sendo assim, o dono é quem o controla.





Estes cães têm uma enorme necessidade de ter e ver todas as posições hierárquicas claramente definidas e ocupadas. A função do líder da matilha abrange as mais diversas atividades que vão desde a demarcação, vigilância do território, segurança, guarda e proteção de toda a matilha, bem como a manutenção de cada participante dentro da sua posição hierárquica. O líder não aceita ameaça, desafio e insubordinação. Se for não treinado adequamente, as conseqüências serão imprevisíveis.





Sob o ponto de vista dos cães, nós humanos, somos vistos também como caninos, formamos uma só matilha. O cão na realidade é um reflexo do dono, portanto em 80% dos casos, é largamente influenciado pelo meio em que vive e pela forma com que é direcionado.






Para obter um resultado positivo, é preciso mais do que controlar o instinto dos cães. Deve-se preparar e educar quem quer ter um animal. Animais têm vida, sentimentos e necessidades físicas. Por isso é muito importante realizar o adestramento na época correta, enquanto filhote, visando ter um cão equilibrado.





Os proprietários devem ser responsabilizados pelo comportamento dos seus animais, pois as condutas e adestramentos absolutamente inadequados que esses proprietários aplicam nesses animais, é que os tornam violentos e agressivos. Um cão adestrado é uma companhia muito agradável. A natureza não produz animais maus. Os animais não atacam por prazer, e sim quando se sentem ameaçados.




A característica mais marcante no comportamento destes cães é afeição pelo seu dono. Dispondo de tempo e recursos, procure participar de competições como agility e obediência, o que transformará você e seu cão numa dupla inseparável.Lembre-se de que na proteção e na guarda você estará estimulando o cão a fazer o que gosta: proteger você e seu território. Animais só atacam seus donos quando foram maltratados ou ignorados.




O temperamento de um cão primeiramente é comportamento herdado (instinto), com mudanças, por desenvolvimento desse comportamento (amadurecimento) em suas vidas, aliados ao meio (habitat) e ao treinamento apropriado, formando assim seu caráter.




O rottweiler precisa de carinho e muito espaço para correr, brincar, nadar, enfim, se sentir livre para ter ações próprias, naturais ao seu instinto




Um animal bem tratado, não pode receber punição violenta e necessita ter uma vida ativa, jamais estressante ou depressiva. A ferocidade incontrolável é fruto do despreparo no manejo e, até, da intenção do dono em fazer do animal uma arma.





O dono é responsável pela atitude do animal e não o contrário. Nenhuma raça de cão nasce com instinto de atacar o homem.




Devemos nos abstrair da mídia sensacionalista, analisar e reconhecer as verdadeiras características desta maravilhosa raça. Quando ocorrer um acidente, é necessário concentrar a atenção para a causa. Constatará que na quase totalidade das vezes a culpa é do responsável pelo cachorro. Pessoas violentas, tendem a desenvolver cães violentos. Cruzamentos irresponsáveis, que geram cães desequilibrados, também contribuem para difamar a raça.




Dicas de convívio:




- Aprenda a ter controle sobre o seu cão;




- Treine-o para identificar os seus comandos;





- Ele precisa ser socializado, permita que ele conheça outros cães e pessoas diferentes;





- Desenvolva a cumplicidade e a amizade entre voce e seu cão;




- O ideal é que o dono seja maior de 18 anos e condições de realizar o manejo, o tratamento e custear as despesas para garantir sua alimentação e visitas ao veterinário.







Foto: Dra. Roberta Moratore


Postado por Vininha F. Carvalho às 06:40 0 comentários

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Mais uma informação importante de Guilhermo Coelho adestrador USA

Cachorros que lambem


O cachorro usa sua língua para explorar e conhecer o mundo. Sua língua é tão útil como nossos olhos e mãos são para nós. Eles a usam para sentir o gosto das coisas, e também para explorar a presença de outras pessoas e animais, para mostrar submissividade e para demonstrar que eles gostam de sua companhia e amizade.


Lamber é uma atitude absolutamente normal para os cães mas alguns simplesmente vão longe demais. Alguns cães perseguem seus donos em todos os lugares sempre lambendo suas pernas e mãos e, se tem uma chance, seu rosto também. E tudo isso, porque eles querem dizer que te amam.


Mas normalmente as lambidas podem carregar mais significado do que simples afeto. É muito fácil saber se ele está te lambendo para mostrar afeto: em geral, ele vai estar relaxado, feliz e de bom humor. Bons exemplos são quando você chega em casa depois de um longo dia de trabalho, ou quando vocês dois estão deitados vendo televisão e ele começa a te lamber.


Uma outra razão cachorros lambem os donos repetidamente é porque estão ansiosos e estressados. Se ele estiver infeliz ou tenso, esta é uma das maneiras comuns que ele pode escolher para te mostrar isso. Alguns cachorros lambem a si próprios, outros lambem você. Não é difícil para você identificar as causas desse estado de ansiedade: O seu cachorro está recebendo atenção e estímulo suficiente? Ele está se exercitando com frequencia? Está tendo tempo suficiente para ir para fora de casa farejar, explorar o mundo ou simplesmente brincar? Você lhe dá atenção suficiente quando está em casa ou apenas o comprimenta rapidamente e segue com a rotina do dia-a-dia?


Esses são aspectos a considerar se seu cachorro vem demonstrando esse comportamento de lamber excessivamente. Dependendo das circumstâncias e da qualidade de vida do seu cão, você pode precisar fazer alguns ajustes na sua maneira de lidar com ele para diminuir a lambeção. Talvez você precise vir para casa mais vezes durante o dia, talvez acordar meia hora mais cedo de manhã para dar uma boa volta com ele antes de sair para trabalhar (isso varia muito em cada cachorro, mas a maioria deve se exercitar ao redor de uma hora e meia por dia). Talvez você só precise passar mais tempo com ele durante a noite, brincando, adestrando, escovando ou apenas fazendo companhia um ao outro.


Considerando estes dois motivos apresentados anteriormente, se você quiser diminuir esse comportamento em seu cão, um mudança na sua linguagem corporal é uma maneira eficaz de conseguir isso. Você deve parar com a sua demonstração de afeto para ele entender que você não gosta disso. Quando ele começar a te lamber, levante-se imediatamente e vire-se de costas para ele. Os cães compreendem sua linguagem corporal muito melhor que a verbal, portanto não olhe para ele nem diga nada, apenas o ignore completamente.

Fonte de pesquisa :

www.AdestradorAmigo.com









Informações importantes de Guilhermo Coelho Adestrador nos USA

Hoje eu queria falar de um aspecto da educação do seu cachorro que
é uma coisa relativamente nova até para mim.


Você sabe que os cachorros descendem dos lobos. Más mesmo tendo
sido domesticados há bastante tempo, eles ainda tem algumas
características semelhantes aos lobos, ainda olham e interpretam o
mundo a seu redor de uma certa forma como os lobos faziam.


Seu cachorro também está olhando o tempo todo para você e
interpretando seus atos com essa mesma bagagem genética de milhares
de anos. Ele vê você como parte de sua matilha, e está o tempo todo
avaliando sua liderança, como os lobos fazem. Ele pode perceber
claramente que você é o líder da matilha ou achar que ele é o líder. Isso
vai depender do seu comportamento.




Essa avaliação que seu cachorro faz da sua liderança vai afetar a
maneira como ele se comporta e como ele entende e obedece os seus
comandos.


Uma forma de mostrar quem está na liderança é o princípio de que:
Nada é de Graça na Vida de um Cão!


Desde pequeno, faça seu cachorro "trabalhar" para obter os pequenos
confortos da vida. Ele tem que fazer por merecer, e tem que entender
que VOCÊ controla o que ele recebe ou não.


Se estiver bem claro para o seu cão que tudo que ele quer será obtido
de você ou das pessoas da sua família, os problemas de comportmento
(como a desobediência e agressão) vão desaparecer.


Seguem abaixo três técnicas simples que você pode fazer desde
pequeno com seu cão:


Comece mandando seu cachorro sentar para que você faça
carinho nele. Assim você evita que ele fique super-animado toda
vez que você chegar perto e comece a pular, morder, etc.
Quando for sair de casa, faça ele antes ficar no lugar e só sair com
a sua permissão. Você é o líder, você passa primeiro pela porta.
E também vai evitar muitas fugas desnecessárias.




Treine-o a deitar-se na sua caminha antes de vir cumprimentar
suas visitas. Assim ele vai estar em um estado de espírito mais
calmo e controlado quando alguém estranho chegar em casa e
não vai ficar latindo ou pulando feito louco.




Se você fizer seu cão pedir permissão para fazer as coisas que ele
quer, você estará estabelecendo sua liderança e ele ficará muito mais
calmo e obediente.


Guilhermo Coelho