Nossa garota

Nossa garota

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Cães e gatos terão passaporte e identificação eletrônica

Norma estabelece que no documento também deverão constar dados sobre a vacinação dos animais e do exame clínico realizado por médico veterinário.


VENILSON FERREIRA - Agência Estado
A partir de agora, cães e gatos terão passaporte para trânsito nacional e internacional. As regras para emissão do documento estão em instrução normativa do Ministério da Agricultura publicada na edição desta sexta-feira, 22, do Diário Oficial da União. 
Para saber sobre a lei que define a documentação clique no link:http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=5&data=22/11/2013

O passaporte será expedido em português, inglês e espanhol e deverá conter informações como nome completo e endereço do proprietário; nome, espécie, raça, sexo, pelagem e data estimada de nascimento do animal; além de identificação eletrônica por meio de microchip instalado sob a pele do bicho.
A norma estabelece que no documento também deverão constar dados sobre a vacinação dos animais e do exame clínico realizado por médico veterinário responsável. A fotografia do animal não será obrigatória, ficando a critério do proprietário fornecer a foto em tamanho 5x7cm para fixação no passaporte, que será válido para trânsito no território brasileiro e em todos os países que o reconheçam como documento equivalente ao certificado sanitário de origem, para fins de reciprocidade.
A perda ou extravio do passaporte deverá ser registrada em boletim de ocorrência policial e informados prontamente às autoridades veterinárias oficiais brasileiras. O documento será concedido a cães e gatos nascidos há pelo menos noventa dias em território nacional ou no exterior e importados definitivamente para o Brasil.
O ingresso de cães e gatos oriundos de países que não emitam passaporte para trânsito desses animais, ou dos quais o Brasil não reconheça o passaporte emitido como documento equivalente ao adotado no País, somente será autorizado quando os animais vierem acompanhados de certificado veterinário internacional. 

sábado, 16 de novembro de 2013

Ciência consegue demonstrar comunicação “telepática” entre animais e seres humanos

Ciência consegue demonstrar comunicação “telepática” entre animais e seres humanos

 telepatia-animal-the-history-channel
Não existem muitos cientistas dedicados a pesquisar o fenômeno da telepatia, porém, um destemido cientistas, chamado, Rupert Sheldrake, biólogo da Universidade de Cambridge da Inglaterra, ousou pesquisar sobre uma das formas mais curiosas de telepatia: a comunicação extrassensorial entre humanos e animais. Entre a população britânica e a norte-americana, 48% das pessoas possuem cachorros e gatos afirmam ter vivido experiências telepáticas com seus animais de estimação.
 
Um dos casos mais comentados o qual o animal pressente quando seu dono está voltando para casa, quase do mesmo modo como antecipam sua partida. O fato de gatos desaparecerem misteriosamente quando seus donos planejam uma ida ao veterinário também é bastante comum. E ainda há casos onde os animais ficam inquietos e agitados, pouco antes de telefone tocar, antecipando a chamada do dono.
 
Naturalmente, muitos destes comportamentos podem ser classificados como condutas condicionadas, entretanto, no caso do Dr. Rupert, diversos testes de padrão científico foram realizados a fim de estabelecer a veracidade dos fatos. Algumas provas chegaram a ser repetidas até cem vezes. A conclusão foi que a comunicação telepática ocorre muito, especialmente quando existem conexões emocionais profundas, ao que o cientista atribui a interação dos chamados campos mórficos. Estes estabelecem relacões entre os membros de um grupo social que compartilham forte laço comum, como por exemplo, o mesmo lar. Além disto, os campos mórficos explicam a forma como indivíduos de uma mesma espécie ou pertencentes a uma comunidade, compartilhem um mesmo conhecimento, fator indispensável para o desenvolvimento de uma espécie e sua “evolução”. 
Fonte: Seu History
NOTA: O negócio “cheirou” a esoterismo? Não se preocupe: aconteceu comigo também! Creio que grandes universidades estão, para não ajudarem a taxar a ciência como “extremamente conservadora”, de um modo geral, tem aceitado e (até) reverberado o trabalho controverso e improvável de alguns de seus professores e pesquisadores, sem se preocuparem muito com as implicações ético-sociais de tais anúncios. Creio que MUITAS outras experiências devem ser feitas, refeitas, testadas à exaustão, para que notícias como essa circulem de um modo (cientificamente) mais convincente.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

CÃO DE RUA SALVA FAMÍLIA DE ASSALTO À MÃO ARMADA


Cão de rua salva família de assalto à mão armada
Na Argentina, um cão que vive nas ruas da cidade de Garupá veio ao auxílio de uma família que ele não conhecia e que estava sendo assaltada. O cão afugentou o ladrão que empunhava uma arma antes que ele pudesse causar algum ferimento grave ou efetuar o roubo.

Eliana K., 29 anos, estava passeando  com a família no bairro de Fátima II no dia 4 de Outubro, quando um homem a abordou e apontou-lhe uma arma na cabeça. O ladrão ameaçou a família pedindo que lhe entregassem todo o dinheiro que tinham, caso contrário, mataria Eliana.

Um cão vadio que tinha vindo seguindo a família correu para  salvar. Ladrou, rosnou e intimidou o ladrão armado até o afugentar.


Eliana e a família conseguiram dar uma descrição pormenorizada do agressor às autoridades. A polícia prendeu horas depois Leonardo L., 21 anos, no bairro de Don Santiago, já sem a arma de fogo.


Não se sabe o que aconteceu ao animal ou se a família que ele salvou o pretende adotar.

Este não é o primeiro relato de cães da rua que salvam desconhecidos em perigo na Argentina. Em Abril deste ano, uma menina de 12 anos foi salva de um homem que  estava levando para um local isolado também por uma matilha de cães de rua


Fonte de pesquisa : 
 
http://arcadenoe.sapo.pt/article.php?id=803