Nossa garota

Nossa garota

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

ESTAMOS UNIDOS NESTA LUTA

Coleiras Vermelhas - WSPA BR

Vinte milhões de cães são brutalmente assassinados a cada ano; ou seja, 38 cães são mortos por minuto das formas mais terríveis, como envenenamento, espancamento e eletrocussão. As pessoas pensam que podem erradicar a raiva matando cães. Isso não é verdade. A WSPA já demonstrou que somente a vacinação em massa pode ajudar a proteger a longo prazo os cães e as pessoas contra a raiva. Ajude-nos a convencer o mundo a, em vez da crueldade, optar pela coleira - o nosso símbolo de vacinação, proteção e esperança. Apoie a nossa campanha, adicionando uma coleira na sua foto do perfil!

Os cães são exterminados das formas mais terríveis, como envenenamento, intoxicação por gás, estrangulamento e eletrocussão, agonizando por minutos, ou mesmo horas, antes de morrer. Tais crueldades são motivadas por um medo real, mas o mais chocante em toda esta tragédia é o fato de que essas mortes são completamente desnecessárias.
Já está cientificamente comprovado que somente a vacinação de cães e gatos pode frear a doença no longo prazo. A compaixão produz resultados. A crueldade apenas mata os animais, mas não impede a propagação da Raiva.
A WSPA apela aos governantes de todo o mundo para que deem um fim à matança indiscriminada de cães, substituindo-a por campanhas de vacinação antirrábica eficazes.
Apoie a nossa campanha na luta contra a Raiva. Junte-se agora à passeata virtual!


http://www.wspabrasil.org/red-collar/default.aspx

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Patricia Marx faz homenagem aos animais

Minha intenção em fazer esta humilde homenagem, foi de trazer consciência à relação que temos com os animais de qualquer espécie.
Inclusive, os que as pessoas comem todos os dias.
Porque os animais para consumo, também são animais, sentem dor, choram quando vão para os matadouros e tem inteligência."
Patricia Marx

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

O BLOG ROTTWEILERUMCAOPANHEIRO NA AJUDA AS PESSOAS

Gente a pedido de um grande amigo proprietário de um Canil em Santa Catarina de rottweiler que sensibilizou com o casal que resgata cães de rua e que nós do rottweilerumcaopanheiro fazemos  questão de poder ajudar esse casal  Sr Valmor e D. Catarina que recolhem cães de rua e os protegem . Povo de Santa Catarina que conhece esse casal e pode ajudar por favor, a gente agradece.  O endereço do blog dele é  http://rottweilersc.blogspot.com 
Abaixo no final da matéria tem o e mail do Luis , proprietário do canil.


Casal resgata cães de rua em Santa Catarina


O Sr. Valmor e sua esposa Catarina possuíam 3 cães a mais de 20 anos atrás. Um determinado dia, ao deparar-se com um cãozinho de rua abandonado, decidiram levá-lo para casa. Desde esse dia sua vida nunca mais seria a mesma. Hoje, com mais de 70 cães, a maioria resgatados após serem abandonados na BR 280, entre as cidades de Jaraguá do Sul e Corupá, em Santa Catarina, o casal conta com a ajuda de pessoas que gostam de cachorros e os ajudam voluntariamente. Após ser bem recebido pelo Sr. Valmor e entregar-lhe 3 sacos de ração, iniciamos uma longa conversa sobre sua vocação para cuidar desses cães, felizardos, que tiveram a sorte de terem sido encontrados pelo casal. Perguntei-lhe se não era possível manter todos os cães soltos, uma vez que a maioria estava acorrentado. Ele me respondeu que se os soltassem, como eles se conheceram já adultos, iriam brigar e se machucar bastante. "Vez ou outra um escapa e precisa de muita água para acabar com a pelea". Infelizmente o casal não possui recursos para construir vários canis e dar um pouco mais de liberdade para seus cães. Após tirar várias fotos do local, fotos estas que estão ilustrando essa matéria, percebi que o Sr. Valmor pedia para que eu chegasse mais perto de uma caixa coberta por um telhado improvisado de lona. Nesta caixa estavam uma das últimas regatadas das ruas. Eram uma cadela branca, com a cabeça castanho, que aparece na foto ao lado, e sua ninhada, nascida nas ruas. O casal deparou-se com a cadela e seus filhotes e não pensou duas vezes. Começou a recolher um por um e os levou para casa. O Sr. Valmor e a esposa moram no Bairro vila Machado, em Jaraguá do Sul, Santa Catarina. Estamos iniciando uma campanha voluntária para arrecadar recursos e ajudar o casal com ração, potes para comida e água (percebi que os potes utilizados não eram adequados), remédios (os cães, apesar de bem tratados, estavam com pulgas) e dependendo do alcance e da mobilização que esta campanha alcançar, quem sabe, seremos capazes de construir canis para cada um dos cães do Sr. Valmor. Quem tiver interesse em ajudar, entrar em contato pelo e mail rottweilersc@hotmail.com. Agradecemos desde já pelo interesse e colaboração.

Duas pessoas são atacadas por Rottweiler em Ouro Preto

Duas pessoas são atacadas por Rottweiler em Ouro Preto

Publicado em 8 de janeiro de 2012 por Tribuna Livre


Nutricionista e uma criança foram atacadas por Rottweiler no centro histórico.







Um cachorro da raça Rottweiler que estava solto na Rua São José, sem coleira, atacou na tarde deste domingo (8), a nutricionista Fernanda Tropia Costa e sua prima de dois anos.



Fernanda foi atacada pelas costas


A vítima foi mordida nas costas mas conseguiu escapar. Uma tragédia maior só não aconteceu porque pessoas que passavam no local interferiram. Fernanda Trópia fez curativo na Santa Casa e tomou vacina anti-rábica e antitetânica.
e relatou que carregava a criança no colo e foi atacada nas costas pelo cão.
Um BO foi feito e o animal apreendido foi identificado como sendo da República Necrotério.


CÃES NAS REPÚBLICAS
É comum ver cães desta raça nas repúblicas do centro; os alunos saem de férias e muitos deixam o animal sem uma esrutura necessária. Há cerca de um ano e meio, um cão de uma república no bairro Antonio Dias, atacou outro e o destrouçou, matando-o na frente do seu dono que nada pode fazer. O ataque foi visto por algumas pessoas que passavam próximo ao local.


A nutricionista afirmou que vai processar os responsáveis pelo cachorro para tentar contribuir de alguma forma para que isso não aconteça mais.





Publicado em Notícias, Ouro Preto por Tribuna Livre. Marque Link Permanente.


JoaoBatista comenta: Pessoal, geralmente eu evito de colocar matérias sobre ataques de rott`s  para não causar desconforto, mas esta  que chegou  pelo google é impossível de não ser postada para mostrar a irresponsabilidade das pessoas . Um república que se chama  Necrotério em Ouro Preto , MG, (por ai pelo nome dela ai gente ja pode imaginar o que se tem la dentro) tem um rott e o deixa solto e o mesmo ataca a nutricionista e a criança de dois anos . Segundo relatos o rott foi preso e a nutricionista processará os proprietários dos cães. Agora pergunto, ela esta certa???  Querem ler a realidade : certíssima. O que este cão estava fazendo solto na rua ????? Provavelmente esse cão  deve ser treinado para ataque, ou talvez nem fosse fazer nada mas pela atitude que a moça tomou ele avançou. Agora  digo esses infelizes, donos do rott o maximo que talvez aconteça com eles será pagar umas cestas básicas , uma multa , uma indenização por danos morais a vitima e  mais nada . Agora se forem filhos de papais ricos , meu amigos talvez a pessoa que foi atacada talavez ainda saia  como culpada . Infelizmente a realidade brasileira é essa. Mas, um pagara´com certeza, o menos culpado de todos , aquele que caiu na rede  e aposto que não está entendendo nada até agora , o cão. Esse provavelmente sera sacrificado por que o rottweiler é uma raça bravissíma e tem de ser exterminada. Gente balela!!!!!! . Todo nós possuidores de rottweileres que usamos a posse responsável sabemos que o rottweiler é um cão calmo e  se der carinho a ele , se transforma em um bicho de pelúcia , mas não,  infelizmente quem sofrerá as maiores consequencias sera o rott . Por isso que eu defendo e para queles que são proprietarios de ONG's , donos de canis e etc , tinhámos que nos unir para pedir leis mais severas para as pessoas que fazem não só do rott mas de qualquer animal,  maus tratos, maiores fiscalizações , fábricas de filhotes, e não querem nem saber sobre a fêmea ou do macho . Apareceu uma, Pimba , oba vem mais uns filhotinhos ai e vou lucrar alguns reais. Que imbecilidade, vêem apenas o valor do dinheiro , não observam a índole dos cães e depois entregam os cães a qualquer um , afinal de contas o interesse é monetário e o novo dono vai adestrar o infeliz para ser uma máquina mortífera. É essa realidade, é o  Brasil que vivemos e em muitos países deste  mundo por ai a fora . Infelizmente a vida é essa e para terminar uso uma frase " o cão é o reflexo do dono".

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

NOVO PREMIO AO ROTTWEILERUMCAOPANHEIRO

Participamos o ano todo de um concurso internacional mais precisamente na Itália e ficamos entre os cem e segundo tradução entre os quarenta blogs que competiram. Isto nos gratifica muito e como sempre falamos nos animais a cada dia mostrar e lutar pelos rotts e outros cães . Abaixo os dizeres e a tradução do texto , Mas pra frente colocaremos o certificado para todos verem.




Di' a tutti che ti piace questo award.
Mi piace

Questo riconoscimento viene attribuito ai siti, blog o forum che essendo stati votati dal pubblico, sono riusciti a posizionarsi in classifica tra i primi 100 nella classifica generale o tra i primi 40 nella classifica per categoria.
Tradução :"Diga a todos que você aproveite este prêmio.

Este prêmio é dado para sites, blogs ou fóruns de ter sido votado pelo público, foram capazes de posicionar-se entre o ranking top 100 na geral ou entre os top 40 rankings
em cada categoria.





Fonte de pesquisa do torneio:


 :http://www.net-parade.it/attestato_riconoscimento.aspx?sito=rottweilerumcaopanheiro.blogspot.com&t=1





















A COR DOS OLHOS DO ROTTWEILER

O padrão para a raça rottweiler indica que os olhos devem possuir tamanho médio, amendoados, de cor marrom profundo e pálpebras bem ajustadas. O ADRK confeccionou uma tabela para a cor dos olhos do rottweiler. Os exemplares que apresentarem as colorações 1A ou 1B são classificados como excelente, com relação à cor dos olhos. Os exemplares que apresentarem coloração 2A ou 2B são classificados como muito bom. Os exemplares que apresentarem coloração 3A são considerados bom, os que apresentarem a coloração 3B são considerados suficientes e os que apresentarem as colorações 4A, 4B, 5 e 6 são desclassificados.                                            

Autorização de pesquisa
:http://rottweilersc.blogspot.com/2010/11/cor-dos-olhos-do-rottweiler.html

CÃO É O MELHOR AMIGO A MAIS DE TRINTA MIL ANOS

Cão é melhor amigo do homem há 30 mil anos



Muito antes de os novíssimos cães de bolso ganharem fama, o melhor amigo do homem já fazia parte do cotidiano da sociedade. Em um estudo divulgado este mês, cientistas de três países analisaram fósseis caninos encontrados onde hoje é a República Tcheca e concluíram que os cachorros convivem com os humanos desde o período Paleolítico, há cerca de 30 mil anos. A pesquisa confirma resultados de dois artigos anteriores e derruba a tese de que esses animais só teriam sido domesticados depois da última era glacial, 14 mil anos atrás. Mais que isso: os pesquisadores acreditam que, além de antiga, a relação com o companheiro de quatro patas foi essencial para a evolução do Homo sapiens.
Os cães pré-históricos foram encontrados em um sítio arqueológico da cidade de Predmosti , no Leste da República Tcheca. O achado, na verdade, não é recente: as escavações do que pareciam ser esqueletos de cachorros ocorreram no fim do século 19 e no início do século 20, mas somente agora os cientistas se preocuparam em datar e identificar as ossadas. “A ideia geral era de que os homens caçadores/coletores só tinham começado a domesticar os lobos no fim da era glacial. No entanto, o achado do cão de Goyet (na Bélgica), que tem cerca de 32 mil anos, indicou que o processo teve início muito antes. O cachorro de Predmosti corrobora isso”, explicou ao Estado de Minas a pesquisadora Mietje Germonpre, do Instituto Real Belga de Ciências Naturais.
Os cachorros de Goyet (um dos mais antigos encontrados até agora) e de Predmosti (com idade estimada em 27 mil anos) eram muito maiores do que os bichos de estimação de hoje em dia, mas já tinham características semelhantes às de raças de grande porte. Os cães da República Tcheca pesavam cerca de 35 quilos e tinham largura de 61 centímetros de um ombro a outro. “A forma do crânio se parece com a de um husky siberiano, embora os cães daquela época fossem bem mais pesados do que um husky moderno”, diz a pesquisadora. Esses animais eram descendentes de lobos e sua domesticação foi confirmada depois de uma série de comparações com espécies selvagens que viviam na região.
Os cientistas analisaram três crânios dos cães de Predmosti. “Eles têm a cabeça significativamente mais curta do que a dos fósseis de lobos e o focinho também é menor. Além disso, a caixa craniana e o palato são maiores em relação aos dos parentes selvagens”, descreve Mietje. O que mais comoveu os pesquisadores, no entanto, não foi a confirmação de que as ossadas eram de cachorros pré-históricos, e sim a provável relação entre os animais e os humanos daquela época. Um dos bichos foi enterrado com um grande osso na boca, o que indica a prática de rituais com os amigos de quatro patas. “Os elementos religiosos (que encontramos) apontam uma profunda conexão entre homens e cachorros”, comenta Mikhail Sablin, pesquisador russo que também participou do estudo.
Laços reforçados
Para a professora Susan Crockford, da Universidade de Victoria, no Canadá, essa amizade começou por interesse, mas se fortaleceu devido ao misticismo dos povos pré-históricos. Segundo Susan — que investigou ossadas caninas de 33 mil anos encontradas na Sibéria — os primeiros lobos domesticados eram bem-vindos, pois acabavam com resíduos deixados pelos homens e alertavam contra potenciais perigos, como a presença de ursos. “As pessoas também devem ter pensado que os primeiros cães tinham poderes mágicos. Para os anciãos da aldeia, que observavam os lobos selvagens se transformarem em amáveis bichos, era óbvio que um ser como esse teria poderes especiais”, supõe Susan.
Com o passar do tempo, a importância religiosa do melhor amigo do homem ficou ainda maior. Embora as ossadas do período Paleolítico não tenham relação comprovada com outras encontradas anos depois, a conexão com os cães se manteve ao longo dos séculos. Depois da última era do gelo, por exemplo, era comum que as pessoas fossem enterradas com seus bichos de estimação. “A ideia dessa prática era prover o espírito do humano falecido com um espírito canino, que serviria como um ‘guia’ para a passagem ao outro mundo”, interpreta a professora da Universidade de Victoria.
Todas essas análises e observações, porém, não explicam por que os humanos deixaram que os primeiros lobos se aproximassem. Afinal, as duas espécies eram concorrentes na busca por alimentos — uma tarefa que não devia ser nada fácil no ambiente pré-histórico. A cientista Pat Shipman, da Universidade de Penn State, na Pensilvânia, credita o começo dessa relação ao conhecimento que os homens acumularam ao observar os animais e à confiança que eles adquiriram com esse aprendizado. “Acho que alguém provavelmente trouxe um filhote de lobo para casa, e isso deve ter acontecido várias vezes”, especula Pat, uma das maiores especialistas em ecologia de ambientes antigos. “Ninguém pensou em criar os bichos, mas, com o passar do tempo, surgiu um sistema no qual ‘bons’ filhotes, ou menos agressivos, passaram a ser alimentados e protegidos, enquanto os outros foram mortos e, talvez, comidos”, detalha.
Pat Shipman vai ainda mais longe. Para ela, esses animais acabaram contribuindo para que os humanos desenvolvessem a linguagem. Em um artigo publicado em maio na revista New Scientist, Pat aponta que uma das primeiras formas de comunicação, a pintura rupestre, se concentrava em registrar momentos dos homens com seus animais domesticados — aí entram outros que surgiram depois, como ovelhas e bichos de carga, por exemplo. “A antiga associação entre o Homo sapiens e os cachorros foi um bom negócio para ambas as espécies. Mesmo que os animais não vivessem dentro de casa, mantê-los em assentamentos foi uma grande vantagem”, diz a especialista.
ENTREVISTA
‘‘Conexão forte e antiga’’
Como era a relação entre humanos e cachorros no período Paleolítico?
Nossos antepassados fizeram uma espécie de parceria com os cães e, ao longo do tempo, isso influenciou a composição genética desses animais. Seres humanos de todo o mundo respondem tão calorosamente à presença de um cão amigável que os fatores emocionais, certamente, contribuíram ao processo de domesticação. Tenho certeza de que os homens do Paleolítico gostavam de seus cachorros e cuidavam deles, embora ninguém tenha decidido transformar lobos em cães.
Por que os animais foram importantes para o desenvolvimento da linguagem?
Eu acho que eles foram cruciais nesse processo porque a informação sobre os animais garantiu a sobrevivência de nossos ancestrais. Uma vez que o homem pré-histórico tinha ferramentas de pedra, ele precisava prestar muita atenção em outros animais, a fim de ter sucesso em suas caças. Com o tempo, o conhecimento detalhado sobre os bichos cresceu — seus hábitos, seu olhar, a maneira como eles se alimentavam, se eles viviam isolados ou em grupos, o que significavam suas posturas e assim por diante. A linguagem, então, foi desenvolvida para organizar e transmitir essa informação de um indivíduo para outro. A prova de que o conhecimento sobre animais foi o fator motriz no desenvolvimento da linguagem vem da mais antiga evidência simbólica que podemos compreender: a arte pré-histórica. Nessa manifestação, o registro dos animais é extremamente rico.
No que mais os animais foram importantes?
Minha hipótese é de que a conexão entre humanos e animais é muito antiga e teve uma forte influência sobre a direção da evolução humana. Em um trabalho que deve ser publicado em breve, mostramos que o cérebro humano é extremamente sensível a imagens de animais, o que prova a existência de um forte componente genético nas ligações entre nós e eles. Cães, sendo os primeiros a serem domesticados, são intimamente ligados aos seres humanos, e vice-versa.
Do Estado de Minas
Fonte: Pernambuco.com - Publicado neste site em 26/10/2011