Nossa garota

Nossa garota

quarta-feira, 30 de maio de 2012

CLAUDIO BERNARDO E FAMÍLIA COM SEU ROTTWEILER




Claudio é de Fortaleza e árbitro de Voley oficial e nos conhecemos através da internet aonde eu era moderador de um site de animais de estimação. E hoje ele manda a foto de seu rottweiler Smith com um ano e dois meses que por sinal é muito bonito o garotão. Obrigado amigo esperamos que vc tenha gostado de ver o Smith aqui no nosso blog . Esperamos também que vc torne-se um seguidor do rottweilerumcaopanheiro. João Batista

terça-feira, 29 de maio de 2012

ADOTAR FAZ BEM


Parabéns! Acabou de adotar um cãozinho abandonado. Como viveu toda a sua vida na rua, ele não está treinado para a vida doméstica. Parece que o seu divertimento favorito é fazer xixi em todos os cantos da casa despreocupadamente. Mas não desespere porque com alguma paciência tudo se resolverá.

Para um dono que nunca tenha treinado um cachorro, pode parecer que a tarefa vai ser fácil ou que o animal não precisa de treino nenhum. É obvio que isto não corresponde à verdade, especialmente se  trata de um animal que nunca tenha vivido em casa.

E o que pode acontecer?
Muitas vezes quando o dono leva o cão a passear para ele fazer as suas necessidades, ele limita-se a fazer uns pinguinhos aqui e ali. Logo que regressa a casa parece descarregar tudo de uma vez! Porque é que eles se comportam desta forma?

Geralmente não é aconselhável que regresse a casa logo que o seu animal tenha feito as suas necessidades. Se o seu cão gosta de passear (e qual é que não gosta?) pode interpretar o regresso a casa como um castigo. Assim vai tentar atrasar ao máximo o regresso, urinando umas pingos aqui e ali. Quando ele tiver feito as suas necessidades continue o passeio durante mais algum tempo. Desta forma ele já não vai associar o ato ao regresso a casa. A associação negativa deixa de existir.

Tempo e paciência
Tal qual os bebês humanos, os cachorros bebês não entendem a diferença entre "fazer" dentro de casa ou fora. Trata-se de uma ação involuntária natural com a qual nunca se tiveram de preocupar. Por isso quando lhe faltar a paciência, tente colocar-se na pele do seu cachorro e imagine como ele deve sentir-se confuso. Lembre-se que o seu cão, apesar de todas as suas virtudes, não pode sempre fazer exatamente o que o dono quer. Nunca deve bater-lhe ou esfregar-lhe o focinho na porcaria para o "ensinar". Para além de ser cruel só vai assustá-lo e ensina-lo a ter medo de pessoas.

Por vezes, por ansiedade ou porque se assustou, ele poderá descuidar-se. Acontece aos melhores! Tente sempre utilizar a técnica da associação positiva e felicitar o seu cão (dando-lhe um biscoito, etc) quando ele faz as necessidades onde é suposto. Não se esqueça que os cães adoram agradar ao seu dono e receber elogios dele.

Afinal, ensinar e treinar, faz parte do encanto de ter um animal de estimação. E a experiência de o fazer é sempre gratificante.


terça-feira, 22 de maio de 2012

Com grande prazer recebemos as fotos de Marco e família com seus rotts


Como já comentei em postagem anterior, graça a este blog meu medo de um dia ter um Rottweiler sumiu e hoje eu e minha família somos felizes proprietários de um casal da raça, Thor e Hannya e aproveito para atualizar as fotos deles hoje com quatro mês de vida.
Grato
Marco Quaranta e 
família






Obrigado  Marco por ter confiado mais uma vez  no blog e  enviado essas fotos belíssimas do Thor e da Hannya. E a maravilhosa família. Isso nos alegra muito em saber que você esta socializando seus rotts juntamente a sua família e nos dá força para não desistirmos  de defender essa raça que é tão marginalizada. Obrigado . João Batista. E você que esta vendo as fotos e tem um rottweiler e quer mandar as fotos para o nosso blog é muito fácil . Envie para o e mail gaburri2099@hotmail.com e pedimos as pessoas para tornar-se seguidor. Como sempre garantimos, as fotos serão apenas usadas somente no blog . 

quinta-feira, 10 de maio de 2012

O SEU FILHO ESTÁ PREPARADO PARA TER UM ANIMAL?

O pedido é quase tão inevitável como a curiosidade em saber de onde vêm os bebés. A certa altura, quase todas as crianças pedem aos pais um animal de estimação. 

Antes de mais, os pais devem ter noção de que são eles os responsáveis pela monitorização das tarefas que são atribuídas às crianças relativamente aos cuidados com qualquer animal de estimação. Se a criança deixar de assumir a responsabilidade, os pais devem intervir, seja para certificarem-se de que a criança volta a cumprir as tarefas ou para as cumprirem eles próprios.

Existem contudo pequenas dicas que podem ajudar os pais a saber se os filhos estão preparados para ter um animal de estimação.

Brinquedos


A forma como a criança interage com os brinquedos é muitas vezes espelho de como a criança interage com um animal. Se a criança for cuidadosa com bonecas, carros, etc., há mais probabilidade que seja também cuidadosa com um animal. Se a criança destrói facilmente os brinquedos, porque os atira para o chão, pisa-os, ou não tem cuidado a brincar com eles, o melhor é esperar que cresça um pouco antes de ter um ser vivo em mãos que possa magoar ou que a possa magoar ao defender-se de abusos.


Tarefas

Cuidar de animais exige ter uma verdadeira lista de tarefas que se não forem cumpridas, podem por em causa do bem-estar físico e emocional dos animais. Se a criança não tem qualquer tarefa que tenha de desempenhar habitualmente, o mais indicado é começar a atribuir-lhe tarefas antes de lhe dar um animal. Se a criança tem tarefas, tais como arrumar o quarto ou fazer os trabalhos de casa, mas oferece resistência em cumpri-las, é provável que faça o mesmo com as tarefas relacionadas com animais. 

As crianças que cumprem as tarefas que lhe foram designadas com regularidade e perfeição são geralmente as mais preparadas para ter animais.

Tempo


Os animais necessitam de dedicação. Muitas crianças, devido à escola e actividades desportivas ou outras, têm pouco tempo para passar com o animal. Ou seja, o tempo disponível seria para tratar das tarefas diárias relacionadas com o animal e pouco tempo sobraria para interagir com ele. Os animais necessitam igualmente de tempo com os donos para criar laços. E para as crianças este tempo é o mais gratificante. 

Moda


Muitas crianças começam a pedir um animal após terem visto um filme com animais ou após terem estado com o animal de um amigo. No primeiro caso, o melhor é deixar passar algum tempo. Se a criança continuar a insistir em ter um animal depois da “moda” do filme ter passado, então o pedido pode ter alguma força. No segundo caso, é preciso ter noção de que a criança não tem de realizar nenhuma tarefa desagradável no que diz respeito a cuidar do animal do amigo e por isso, parece óptimo ter um animal. Neste caso, o facto de o amigo ter um animal pode ser aproveitado de forma útil. Pode sempre pedir para a criança ser incluída nas várias tarefas de forma a ganhar conhecimento e prática.

Felicidade da criança


Muitos pais não resistem a adquirir um animal, porque pensam que se não o fizerem, a criança fica infeliz. A verdade é que as crianças podem beneficiar muito do facto de terem a companhia de um animal. Mais responsabilidade, empatia com o próximo, sentem que têm sempre um companheiro e por isso sentem menos solidão. 

Contudo, decidir adquirir um animal de forma precipitada e depois concluir que nem a criança nem a família reúnem as condições para o manter pode acabar por ser muito mais penoso para a criança. Isto porque pode-se afeiçoar ao animal e torna-se difícil despedir-se dele. Ou então, caso a criança perca o interesse, a falta de responsabilização pode tornar-se exemplo para vários outros aspectos da sua vida, incluindo na escola.

Tipo de animal


Após decidir dar um animal à criança deve reflectir muito bem sobre qual o animal a adquirir.

Aves 

As aves são animais delicados, cujo manuseio deve ser feito com cuidado. Muitos papagaios permitem um elevado grau de interação, mas são extremamente sensíveis a abusos, podendo ficar traumatizados para a vida inteira caso sofram algum susto.

Peixes 

São geralmente os mais populares como primeiro animal de estimação, devido ao fato de não exigirem muita manutenção. Contudo, por também não permitirem muita interação, as crianças acabam muitas vezes por perder rapidamente o interesse.

Répteis 

A interacão que os répteis permitem é muito diminuta quando comparado com aves, cães, gatos e roedores. A higiene nestes casos, lavar as mãos após tocar no animal, é ainda mais importante do que em animais de outras famílias. 

Pequenos animais 

Coelhos e roedores são também alguns dos animais mais oferecidos a crianças. Existem algumas espécies que interagem bastante com crianças e que por serem mais tolerantes e maiores, podem dar bons animais de estimação. Leia o artigo Crianças e Roedores para conhecer algumas das vantagens e desvantagens da manutenção destes animais e quais os mais aconselhados por idades -
Cães 

Os cães são animais que se adaptam bem à família, mas não são animais cujas tarefas possam ser entregues na totalidade às crianças. Isto porque os passeios e a alimentação devem ser sempre ficar a cargo de um adulto. Veja aqui as raças caninas que mais se adequam a crianças - 

Gatos 

Os gatos têm a vantagem de não necessitarem de passeios, mas não implica que sejam mais adequados para as crianças. São animais que têm uma menor tolerância a abusos e são mais reativos do que muitas raças de cães. Leia aqui a relação que gatos e crianças podem manter 


Fonte de pesquisa :http://arcadenoe.sapo.pt/artigo/o_seu_filho_esta_preparado_para_ter_um_animal_/612