Nossa garota

Nossa garota

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

A Fundação Animal Livre promove o prêmio "Uma Boa Iniciativa Mobiliza",

Prêmio “ Uma Boa Iniciativa Mobiliza” :

A Fundação Animal Livre promove o prêmio "Uma Boa Iniciativa Mobiliza", visando incentivar o intercâmbio de informações e experiências das atividades promovidas no Dia Nacional de Adotar um Animal.


Pretende mobilizar e estimular a disseminação de ações interessantes vivenciadas por organizações sem fins lucrativos e protetoras independentes com trabalho comprovado e idôneo .


Para participar, basta enviar um texto com até 5 mil caracteres relatando, de modo simples e atraente, acompanhado de no mínimo 6 fotos, sua experiência, ressaltando aspectos positivos, como resultados concretos obtidos com a iniciativa e repercussão da ação desenvolvida.


Durante os meses que antecedem o término das inscrições, será possível acompanhar a adaptação dos animais adotados em seu novo lar.


Os critérios avaliados são mérito, efetividade e resultados alcançados.


As inscrições podem ser feitas, também, através deste site, até dia 31 de março de 2010. É importante destacar que inscrições enviadas com dados incompletos ou que não estejam alinhadas aos objetivos da premiação serão desclassificadas. As inscrições válidas serão analisadas até 30 de agosto de 2010, quando serão anunciadas as iniciativas vencedoras.




INSTRUÇÕES PARA O ENVIO :

- Favor ler atentamente as instruções acima.



- Ao enviar o arquivo , assegure-se que ele está livre da presença de vírus. Arquivo contendo vírus será recusado.


- Autor ou autores devem ser listados com o nome completo , endereço , telefone, CNPJ (entidade) ou RG e CPF ( pessoa fisica). A formação profissional , site ( opcional) e o e-mail deverão ser mencionados.


- Email para o envio: assessoria@animalivre.com.br



Vencedores :

As cinco melhores iniciativas serão premiadas com uma divulgação de seu trabalho no Portal Animal Livre e apoio financeiro para realização de esterilização de um total de 100 animais a serem indicados.Maiores duvidas é só entrar no site www.animalivre.com.br e esclarecer suas dúvidas participe. Matéria autorizada por :



Vininha F. Carvalho
Jornalista, administradora de empresas, economista e ambientalista, atuando como defensora dos animais

Seja um Voluntário em Defesa dos Animais

O animal representa a natureza primitiva e instintiva de que todos nós somos constituídos. Nas religiões e artes de quase todas as raças, os atributos animais eram associados aos deuses ou estes eram representados como animais. Essa projeção dos animais na religião não só acentua a sua importância, mas mostra o quanto é vital para o homem integrar em sua vida seu conteúdo, ou seja, o instinto. Os povos que conseguiram conservar o essencial da sabedoria sagrada , tratam os animais de forma quase humana, movidos por respeito e carinho.


No nosso país , infelizmente, todos os que se propõem a desenvolver um trabalho sério e comprometido com a proteção da vida animal enfrentam muitas dificuldades no seu dia-a-dia. É preciso muita determinação para lutar contra as forças monumentais da ignorância e da ambição humana e, ironicamente, inversamente proporcional ao tamanho desta árdua tarefa é o apoio oferecido pelos poderes públicos. Como forma de viabilizar o trabalho em defesa dos animais as ongs e associações contam exclusivamente com a ajuda financeira e a boa vontade dos simpatizantes da causa, requerendo muito trabalho voluntário e, um grande amor pelo ideal de justiça, para com estas criaturas indefesas e, que tanto precisam de nós.


A maioria das entidades ,contam com várias pessoas trabalhando diáriamente com os animais. Mas, há outros tipos de ajuda voluntária, que você pode desempenhar,como : arrecadar ração com a vizinhança e encaminha-la pelo menos uma vez por mês , juntar jornais velhos, lixo reciclável (algumas entidades vendem latinhas e embalagens plásticas usadas),doar medicamentos, etc. A colaboração de profissionais para elaborar campanhas, escrever artigos para a imprensa, fazer traduções, confeccionar sites, oferecer orientação nas questões legais, de saúde , etc...é fundamental para possibilitar que os animais consigam ter seus direitos respeitados.


Divulgar as campanhas entre seus amigos também é uma excelente iniciativa. Muitos de nossos amigos não se importam com os animais, porque desconhecem o que acontece com eles.Informe-os, ajude a conscientizá-los. Não mande a eles tudo o que você encontra sobre animais, mas selecione as campanhas de impacto e peça para que eles colaborem. Desta forma, com o tempo muitas pessoas irão sendo despertadas para a importância do voluntariado e realizando um belíssimo trabalho de conscientização.


Os voluntários precisam ser pessoas conscientes ,com mentes abertas , capazes de realmente amar os animais , que saibam percorrer os caminhos das instituições governamentais e privadas.Por isso,é preciso deixar o comodismo de lado,a desculpa da falta de recursos,se modernizar e através da criatividade encontrar uma maneira de se tornar cada vez mais atuante.Acredito que com propósitos bem determinados,assessorados por pessoas competentes e decididas, surgirá um canal de voz apropriado para implantarmos uma verdadeira força em prol dos animais.

Vininha F.Carvalho
Vininha F. Carvalho
Editora do seu Guia de Defesa dos Animais

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Informações importantes sobre o Cio das cadelas

Cio
Considera-se que uma cadela está na puberdade quando ela tem o primeiro cio. Este ocorre entre os 6 e os 10 meses de idade (mais mês menos mês, há cadelas que só têm o cio mais tarde, mas são uma exceção), na maioria das raças. O cio é a época de "namoro" da fêmea, pois fora desse período ela não aceita os avanços do macho. Diferentes das fêmeas, os machos não apresentam cio e podem acasalar em qualquer época. Os machos podem detectar o odor das fêmeas no cio a uma grande distância. Um ferormônio é eliminado junto com a urina das cadelas nessa fase, e é ele que atrai os machos.

Como identificar o cio:


A região genital externa das cadelas (vulva) começa a inchar e observa-se um sangramento leve a moderado. O primeiro dia do cio deve ser marcado no calendário e é o dia em que se observa o início do sangramento.


Duração do cio:


Em média, o cio das cadelas dura de 15 a 30 dias. A média é 21 dias, mas depende muito das cadelas.


Freqüência do cio:


O cio das cadelas manifesta-se a cada 6 meses, normalmente. Mas há cadelas cuja freqüência varia a cada 5 ou 7 meses, e até cadelas que só têm o cio uma vez por ano. O importante é que o intervalo seja constante.

Períodos do cio:


Na primeira metade do cio, observa-se um sangramento leve que diminui ou desaparece totalmente em torno do 7o. ou 8. dia. Nesse período, a cadela deixa-se cheirar pelo macho, mas ainda não aceita que ele a monte. Na segunda metade do cio, não há sangramento e a vulva mostra-se inchada (embora muitas cadelas ainda possam ter sangramento). Nessa fase, as cadelas permitem a monta e o acasalamento com o macho. O final do cio é notado pela diminuição evidente da região genital e quando a fêmea passa a rejeitar o macho. Muitas vezes o sangramento volta e mantem-se até ao final do cio.


Como evitar que a fêmea fique prenha: não permitir que ela tenha contato com machos do 7o. ao 15o. dia (ou final) do cio. A esterilização é uma excelente opção para quem não quer que seu animal tenha crias. Uma vez esterilizada, a fêmea não terá o inconveniente do cio, reduzindo-se em simultâneo o perigo de tumores mamários ou uterinos. O uso de anticoncepcionais não é um método totalmente seguro para a saúde do animal, pelo que não é de todo recomendável.


"Cio seco":


Algumas cadelas não apresentam sangramento durante o cio. Nessas fêmeas, é muito mais difícil identificar o momento certo para o acasalamento. Para quem tem um casal de cães e não tem muita experiência, isso é um problema pois os acasalamentos indesejáveis poderão acontecer. Algumas pessoas, por não perceberem o sangramento na fêmea, acham que seus animais nunca tiveram cio. Cadelas mais velhas podem apresentar cio seco.


As fêmeas têm cio até o final da vida. Não existe a "menopausa" nas cadelas.


Resumindo, o ciclo sexual das cadelas divide-se em 4 fases:


Proestro – manifesta-se pelo inchaço da vulva e corrimento de sangue. A cadela já atrai os machos, mas recusa a cópula.


Estro – fase durante a qual a fêmea aceita o macho. Nesta fase a vulva continua inchada, mas normalmente, o corrimento é bastante reduzido ou inexistente.


Metaestro – período da gestação, parto e lactação para as cadelas que efetivamente cruzaram. Neste período, algumas cadelas que não acasalaram apresentam sintomas de gravidez, é a chamada Gravidez Psicológica.


Anestro – período de descanso sexual, entre os dois cios.


Muito importante:


o Criar não é simplesmente juntar uma fêmea e um macho. Para o bem da raça, só se devem cruzar animais que:


- Tenham LOP


(caso contrário oficialmente são SRDs)


- Sejam manifestamente bons exemplares da raça, obtendo pelo menos 3 classificações de SG (sehr gut - Muito Bom) em exposições de beleza especializadas da raça.


- Preferencialmente tenham o caráter a aptidão da raça, o que pode ser aferido em provas de trabalho como o RCI. Um Rottweiler não é aquele que se parece com um Rottweiler e até é muito bonito. O verdadeiro Rottweiler parece-se com um e age como tal, demonstrando toda a sua força, equilíbrio, confiança e aptidão para o trabalho. Não esquecer nunca que esta é uma nobre raça de trabalho, antes de tudo.


- Tenham os despistes das doenças geneticamente transmissíveis excetuados por uma entidade veterinária idônea: nomeadamente a displasia da anca (coxofemoral) e do cotovelo. Uma ecografia ao coração ajuda igualmente a despistar possíveis problemas cardíacos.


Ninguém tem visão rx e os bruxos existem, mas nada percebem de cães, dizer-se "ha, mas eu vi os pais e são muito saudáveis e bonitos, correm e saltam, por isso não devem ter displasia" é um erro que mais tarde se paga muito caro. Alguns "criadores" valem-se da inocência dos compradores afirmando que os seus animais não têm displasia pois não têm sintomas. ERRADO. Há muitos casos de displasia cujos sintomas só se tornam visíveis mais tarde. O RX é a única forma de detectar a existência deste grave problema que tanto afeta a nossa raça.


- Para quem ainda pensa que criar dá dinheiro... Desengane-se. Fabricar é capaz de dar lucro, principalmente às fábricas de várias raças. Criar como ato de trazer algo de novo e melhor para a raça (dentro do estalão oficial que deve ser o objetivo de criação, já que a perfeição não existe, mas é sempre um objetivo a alcançar).


As despesas de alimentação cuidada, aquisição de bons exemplares, deslocações e estadias para provas de beleza, treino e deslocações para provas de trabalho, exames veterinários periódicos, valor da cruza, acompanhamento veterinário e alimentação especial durante a gestação, parto (sem contar com complicações), acompanhamento dos cachorros (sem contar com as complicações), vacinas e desparasitante...


Bem... é melhor para por aqui. Para fazer há que fazer bem feito, e não porque o milagre da vida é tão bonito e eu até gostava de ter um filhinho do meu cão/cadela.


Os canis municipais estão cheios de cães resultantes disso mesmo, e o nosso Portugal está cheio de Rottweiler que da raça, apenas têm o preto e o castanho.


o Uma cadela nunca deve ser cruzada antes da sua maturidade completa, que acontece por volta dos 24 meses, ou após o terceiro cio.


o Não é aconselhado que se cruze a cadela em todos os cios. Isso porque o processo de gestação, parto e amamentação é muito desgastante.


o Para aqueles que não desejam que a cadela acasale, o ideal é isolar a fêmea, este isolamento deve ser meticuloso, pois elas vão tentar arranjar maneira de se escapar. Não se deixe enganar pelas diferenças de tamanho entre machos e fêmeas. Nesta fase eles dão "um jeito" e tornam-se verdadeiros contorcionistas...


o A esterilização é uma excelente opção para quem não quer que a sua cadela tenha bebês. Uma vez esterilizada, a fêmea não terá o inconveniente do cio.


***************************************************
Auti=orizado a publicação por Cris Santana que faz um trabalho excelente na proteção dos animais