Nossa garota

Nossa garota

segunda-feira, 2 de maio de 2011

O Síndrome da Dilatação-Vólvulo Gástrico ou Torção de Estômago

WWW.VIVAPETS.COM

O Síndrome da Dilatação-Vólvulo Gástrico ou Torção de Estômago pode matar um cão em poucas horas e apesar de ser a principal causa de morte em algumas raças é um problema ainda pouco conhecido.

A Torção do Estômago ainda é uma doença desconhecida pelos donos de cães e controversa entre os investigadores, o que não ajuda à divulgação. Não se sabe ao certo o que leva à acumulação de gás no estômago dos cães, mas sabe-se que em alguns casos isso pode levar à rotação do estômago sobre o vólvulo, que é o eixo longitudinal do sistema digestivo, problema denominado de Síndrome da Dilatação-Vólvulo Gástrico ou Torção de Estômago.

A Torção do Estômago impede a libertação do conteúdo do mesmo, seja através do vómito ou defecação. O que vai contribuir para a acumulação de gás no interior do órgão. Este problema é bastante doloroso para o animal.


Sintomas
O sintoma mais comum nestes casos são a letargia e inchaço na região abdominal. Quando o cão está em choque e zona da barriga está dilatada, o diagnóstico é imediato: Torção de Estômago. Neste casos não deve esperar para ver se o cão melhora em 24 horas. É muito provável que o cão não resista tanto tempo sem assistência veterinária. Nos casos de maior resistência, os animais conseguem sobreviver durante 12 horas, mas há relatos de animais que não resistiram mais do que 1 hora. Deve ter em atenção que entre a altura da torção e o facto de o dono se aperceber que algo está mal com o cão, pode passar algum tempo.

A dilatação do estômago pode não ter sinais externos em cães de tórax profundo, visto a zona das costelas conseguir abarcar a expansão. O caso é igualmente perigoso, mas mais difícil de identificar. O veterinário pode ter de recorrer a exames clínicos antes de diagnosticar a doença.

Os sintomas manifestam-se assim que há deslocação do estômago e o animal deve ser levado ao veterinário de emergência. Se for de noite, dirija-se ao Hospital Veterinário mais próximo. Não espere pelo dia seguinte!


Causas


Existe bastante controvérsia entre os investigadores sobre os factores de risco deste síndrome. David Spreng, veterinário, defendeu na 35ª reunião da Associação Veterinária Mundial de Pequenos Animais realizada em Junho deste ano que a maioria da informação epidemiológica sobre o Síndrome da Dilatação-Vólvulo Gástrico não ajuda na identificação desta doença, exceptuando em dois casos: a predisposição de algumas raças para desenvolverem este problema e o facto dos cães com um peito em estreito e profundo poderem desenvolver esta torção sem apresentar o sintoma típico de barriga inchada.


Na verdade, não existe acordo entre os investigadores sobre o que pode causar a Torção de Estômago. É geralmente aceite que as seguintes situações aumentam o risco de desenvolvimento da Torção de Estômago:



dar ao cão apenas uma refeição por dia em vez de as distribuir por duas ou três tomas;


exercício depois da refeição - mas, ao contrário do que se possa pensar este problema não surge apenas depois das refeições, pode ocorrer em qualquer altura.



Raças mais expostas


Segundo um estudo de Lawrence T. Glickman dos 1914 cães de raças de porte grande e gigante analisados (Akita, Bloodhound, Collie, Dogue Alemão, Irish Setter, Irish Wolfhound, Terra Nova, Rottweiler, São Bernardo, Caniche Standard e Weimaraner), 105 cães desenvolveram Torção do Estômago, tendo 30% destes acabado por falecer.

Os dados mais recentes do Kennel Club, o clube de cinofilia inglês, revelam que o Síndrome da Dilatação-Vólvulo Gástrico é a principal causa de morte no Dogue alemão, Grand Bleu de Gascoigne e no Bloodhound. E uma das cinco principais causa de morte nas raças:


Weimaraner
São Bernardo
Akita
Retriever de Pêlo Encaracolado
Deerhound
Dálmata
Dobermann
Setter Irlandês
Irish Wolfhound
Retriever de Pêlo Liso
Borzoi
Alaskan Malamute
Basset Hound
Caniche Standard
Old English Sheepdog
Husky
Terra Nova
Boxer
Bullmastiff

Generalizando, os donos de cães de porte grande devem estar mais atentos.
No estudo realizado por Lawrence T. Glickman, o investigador conclui que a personalidade do cão tem bastante influência no desenvolvimento ou não da Torção de Estômago. Os cães classificados pelos donos como mais nervosos têm uma maior predisposição para desenvolver este problema enquanto que os animais mais calmos e alegres têm um risco menos elevado. Segundo Glickman isto está relacionado com a forma como o corpo do animal lida com o stress e é algo não só curioso como também preocupante, pois não é possível controlar o temperamento dos animais.

Tratamento
A primeira linha de tratamento do Síndrome da Dilatação-Vólvulo Gástrico passa por libertar o gás acumulado no estômago. Isso pode ser feito com um tubo inserido até ao estômago ou se isso não for possível com a perfuração do abdómen. Quase sempre é necessária cirurgia para corrigir a posição do estômago.

Os cães que já desenvolveram Torção de Estômago correm risco acrescido de sofrer novamente esse problema. Nos casos em que o risco é significativo, pode-se recorrer a uma gastropexia, isto é a uma cirurgia que vai fixar o estômago à parede abdominal. Nas raças com maior predisposição para a Torção do Estômago já se faz esta cirurgia profilaticamente. Se pensa esterilizar/castrar o seu animal de estimação, esta é a melhor altura para realizar a gastropexia, visto aproveitar a anestesia para dois procedimentos.

A gastropexia não impede contudo a acumulação do gás. Mas é a Torção do Estômago que mais risco de vida implica para os cães. A acumulação de gás e a consequente dilatação do estômago devem também ser motivo para visita urgente ao veterinário.


Fonte de pesquisa:

WWW.VIVAPETS.COM

Nenhum comentário: