Nossa garota

Nossa garota

sexta-feira, 13 de abril de 2012

DESCUBRA SE O SEU CÃO É OTIMISTA OU PESSIMISTA

Um grupo de cientistas conseguiu relacionar a forma como os cães "encaram" a vida com a ansiedade de separação e comportamentos destrutivos.

Optimismo e pessimismo não está só presente na personalidade dos humanos. Os cães também podem encarar o copo – ou a tigela – como meio cheia ou meio vazia. Tal como as pessoas, os cães também têm expectativas em relação aos desafios que lhes são apresentados. Esta é a conclusão do estudo publicado recentemente em Current Biology.

Alguns investigadores já tinham apontado a ligação que há entre a forma como os cães encaram a vida e a predisposição para desenvolverem determinados problemas de saúde. Por exemplo, Glickman afirmou que animais alegres estão menos predispostos a ter Torção do Estômago. Agora, a equipa de Michael Mendl, investigador da Universidade de Bristol, refere que os cães podem encarar a vida de forma positiva ou pessimista e encontraram uma forma de o provar.


Mendl estudou as reações a diversas situações de 24 cães e concluiu que os animais que tinham comportamentos relacionados com a ansiedade de separação mostraram comportamentos pessimistas noutras situações e os cães com comportamentos otimistas mostravam-se menos ansiosos quando deixados sozinhos.

Como primeiro teste e para apurar o grau de ansiedade de separação dos cães, Mendl estudou a reacção dos cães quando os submeteu num dia a 20 minutos de brincadeira com um humano e no dia seguinte só a 5 minutos.

Para apurar o optimismo ou pessimismo dos cães, Mendl treinou-os a associarem a localização da tigela numa divisão à quantidade de comida. Assim, as tigelas com comida eram colocadas num sítio e as tigelas vazias eram sempre colocadas no extremo oposto de forma a condicionar os cães. Para testar os cães, Mendl colocou as tigelas em locais diferentes, uns mais próximos, outros mais distantes e outros à mesma distância dos dois locais. De seguida, Mendl, mediu o tempo que os cães demoravam a ir ter com as tigelas colocadas nos locais de teste (os cães não sabiam à partida se estariam cheias ou vazias). O pressuposto foi o de que os cães optimistas dirigem-se com ânimo e rapidamente para as tigelas colocadas em locais neutros e que os cães pessimistas dirigiam-se mais devagar para as tigelas que não sabiam se estavam cheias ou vazias. 

Segundo o investigador os cães que se mostraram mais pessimistas eram também os que mostraram uma maior ansiedade de separação no primeiro teste. Pelo contrário, os animais que se mostaram mais optimistas não exibiram sinais de ansiedade. Assim, os que ladraram ao investigador após acabar a brincadeira mais cedo, eram aqueles que também não mostraram tanto ânimo a dirigirem-se para as taças em local neutro, enquanto que aqueles que permaneceram alegremente sentados após o investigador sair, eram os que se dirigiam mais rapidamente para todas as tigelas.

Da mesma forma que os cães pessimistas contam com que o investigador não regresso para brincar após sair da sala, daí ladraram e exibiram outros comportamentos de ansiedade, contam também que as tigelas estavam partida vazias.

Os cães otimistas contam com o contrário, daí sentarem-se calmamente à espera que o investigador regresse para brincar e dirigirem-se mais rapidamente para as tigelas contando  com comida.

Face a este estudo, o seu cão é pessimista ou optimista?


Fonte de Pesquisa: http://arcadenoe.sapo.pt/artigo/descubra_se_o_seu_cao_e_optimista_ou_pessimista/618

Nenhum comentário: