Nossa garota

Nossa garota

domingo, 13 de novembro de 2011

ATENÇÃO PELA REPORTAGEM IMPORTANTE

Muitos como o pitbull andam com os donos sem focinheira e causam perigos para outros cachorros e pessoas Rodrigo Rainho



Cachorros à solta, um risco aos sorocabanos( PARA TODOS NÓS)

Pandora, uma cachorra de raça indefinida, fazia seu passeio matinal com a dona Dalva Rita Braga, no Jardim Betânia, quando Massaranduba, pitbull de 9 meses, ataca; resultado quase sempre é trágico







Cão agressivo sem guia e solto pela rua tem sido cada vez mais comum em Sorocaba. A Lei Estadual nº 11.531/2003 é clara: o proprietário de cães ferozes, como pitbull, rottweiler e mastim napolitano – em vias públicas, logradouros ou locais de acesso público – devem utilizar guia curta de condução, enforcador e focinheira.






O dia tinha tudo para ser agradável e maravilhoso para a auxiliar de atendimento Dalva Rita Braga, 41 anos, mas não foi isso que aconteceu. No sábado, ela decidiu levar a cachorra Pandora e mais três cães para passear. Moradora do Jardim Betânia, ela não esperava que fosse ser alvo de um inimigo, que está circulando pelas ruas, mas nunca se imagina que vai aparecer um pela frente: o cão sem guia. Pior é que o animal não tem culpa. O responsável é o dono.






Na avenida Belém, Dalva tomou um susto. Massaranduba – não é o personagem do Casseta e Planeta, mas sim um pitbull – saiu da garagem do dono, o mecânico Fábio Augusto Moraes, e correu na direção da moça. Foi nesse segundo que Pandora atacou Massaranduba e rolou com ele no chão. Um atrito entre cães virou briga de vizinho. “Ela avançou nele para me defender. Eu me distraí e passei por lá. O dono deixa o portão aberto e o cão solto”, diz Dalva. “O meu pitbull queria só brincar com ela”, rebate Fábio.






Conflito/ Os cachorros rolaram pelo asfalto. Dalva grita, chora e pede ajuda. O dono do pitbull sai de casa, desesperado, e agarra seu Massaranduba. Bicho dócil em família, mas que pode virar um demônio quando sozinho nas ruas. “Ele sorriu e disse: ‘calma, dona’”, relata Dalva, que registrou boletim de ocorrência.






Apesar da lei estadual em vigor, nenhuma multa foi aplicada ao proprietário do pitbull. “Essa moça passeia com quatro cachorros na minha porta. Os cães dela provocam o meu Massaranduba”, diz.






A família dele defende o cachorro, que realmente parece manso, mas ignora o risco de colocá-lo em liberdade. Um risco para toda a comunidade.






Adestramento, treino fundamental para guiar um cão


Veterinário da Fundação Alexandra Schlumberger recomenda que donos de cães aprendam a criar os cachorros antes de comprar os filhotes; acidentes com os animais poderiam ser evitados se fossem adestrados devidamente






A melhor saída para a pacificação entre os cães e a população é o adestramento. É a opinião de Tiago José Gasparini, 29 anos, veterinário da FAS (Fundação Alexandra Schlumberger). O proprietário de um cão precisa pensar em vários aspectos antes de decidir criar um animal, segundo ele. O principal é ter em mente que não basta dar ração e água ao bicho. Ele necessita de carinho e atenção do dono. “Os animais precisam de brincadeiras, de passeios de lazer. Amor e carinho é fundamental”, diz ele.






Na opinião de Tiago, o episódio dos cachorros Pandora e Massaranduba refletem a falta de conscientização de boa parte da população com os animais e seus direitos. “Os donos de cães ferozes não podem deixá-lo no fundo do terreno, abandonados à própria sorte. Eles devem adestrá-los e aprender a ter autoridade sobre o cão. Recomendo que tenham contato com seus cachorros, para torná-los menos agressivos e mais carinhosos”, diz.






Tiago alerta que o cão de guarda deve ter um espaço só para ele. “Quando o dono abre o portão, ele deve respeitar a lei e garantir que o cachorro, principalmente se for um pitbull ou uma raça de cão feroz, esteja em um local fechado, para garantir a segurança de quem passa na rua, seja criança ou adulto”, afirma.






Na avaliação do veterinário, Massaranduba atacou Pandora e não sua dona, Dalva. “Essa raça foi treinada para duelos com outros animais durante décadas”, diz. “Se realmente atacou, não foi uma pessoa, mas sim outro animal. O cachorro focou a cadela. A Dalva achou que era com ela e se assustou.”






Um pitbull de 9 meses dificilmente ataca uma pessoa, segundo Tiago. Apesar do atrito, o conflito entre donos de cães no Jardim Betânia serve de alerta para outros bairros de Sorocaba. Crianças e até idosos morreram após ataques semelhantes. Se a lei for cumprida, os cães e pedestres estarão salvos.






Perfil do pitbull





Nome :     American Pitbull Terrier









Comportamento

Inteligente e devotado ao dono; agressivo com outros cachorros







Físico

Robusto e atlético







Porte

Médio







Obediência

Submisso, rigoroso







Contra-indicação

Não recomendado para cão de guarda - fica agressivo e hostil







Ancestrais

Pit fighting dogs, importados da Irlanda e Inglaterra











Cuidados com o seu cão





Castração


É recomendável. Diminui o hormônio do corpo e reduz a agressividade


Comando


O adestramento é ótimo para o cão. O dono terá mais autoridade com o animal e poderá controlá-lo em momentos de crise.


Espaço físico


O animal também tem direito a ter seu “canto”. Para o dono e seus vizinhos, é mais seguro também.


Refeições


Os veterinários recomendam que o dono alimente seu cão três vezes por dia. Uma vez só é pouco. Não deixe seu cão sem comer por muito tempo

FONTE DE PESQUISA   :http://www.redebomdia.com.br/noticia/detalhe/4060/Cachorros+a+solta,+um+risco+aos+sorocabanos

Nenhum comentário: