Nossa garota

Nossa garota

terça-feira, 19 de abril de 2011

Agitação e briga familiar estressam os cachorros

Essa palavra tão rotineira para nós não é novidade no universo canino




Há muitas razões que podem levar um cão a ficar estressado. Uma mudança de rotina, ser deixado só, fome e sede, dor, falta e excesso de exercício, reformas e até mesmo brigas em casa são alguns exemplos. Apesar de ser pouco conhecida, a doença pode causar sintomas muito prejudiciais para a saúde do animal, é o que explica o veterinário José Manuel Mouriño “O estresse pode trazer uma série de alterações físicas, como o aumento da pressão arterial, diminuição da produção de anticorpos e aumento da glicemia.”




Como não falam a nossa língua, os cães demonstram que tem algo errado através do comportamento e da linguagem corporal. Fique de olho nesses sinais: caspa, coceira, respiração ofegante, tremedeira, recusa de comida ou companhia, agressividade, latidos excessivos, choro. Caso tenha identificado um ou mais desses sintomas, a atitude correta é levá-lo ao veterinário. Muitas vezes o que parece ser um problema de comportamento pode ser problema de saúde, como uma dor de dente.




Se ele estiver com uma boa saúde física, comece a procurar o que está o deixando estressado e busque trabalhar na solução. Procure um especialista em comportamento canino para te orientar. Segundo Mouriño, normalmente cães muito agitados e ansiosos desde filhotes tendem a desenvolver a doença. As raças caninas que possuem mais tendência para o estresse são os Yorkshires Terriers, Malteses, Border Collies e Labradores.




A professora Andréa Carmelo sabe muito bem o que é ter um cão estressado em casa. Dona do Trigo, um labrador de três de anos, conta quando o cachorro passou a ter um comportamento agressivo. “O Trigo sempre foi calmo e brincalhão, mas depois da chegada do meu primeiro filho ele começou a latir e rosnar com frequência”. Preocupada em reverter à situação, Andrea ouviu um especialista em comportamento canino e seguiu a dica de brincar com os dois juntos. Hoje ela comemora “Eles não desgrudam, parece que são melhores amigos”.


Fonte pesquisa:   Por Redação PetZine em: comportamento, saúde // 20 set 2010

Nenhum comentário: